Sobre o Community


#1

Boa noite,

segue abaixo esclarecimento do processo de criação e desenvolvimento da página do Community, tentarei fazer um histórico de como temos trabalhado nesse quesito.

Antemão, aos que se perguntam O que é esse tal de Community e para que ele serve, explico.
Basicamente dentro de comunidades de software livre, o Community tem função de ser a porta de entrada para quem chega, seria um “irmão” do fórum, que também tem, entre várias, essa função. Às vezes, eles podem vir atrelados. Quando não, diferente do fórum, a função do Community é em resumo de ser um repositório de atividades para quem quer contribuir, saber o que tem sido feito, etc. Lá estaria descrito, qual é a área responsável; quem é o responsável por fazer a tarefa x, y e z; quem está fazendo; quem fez (reconhecimento); etc. Pode-se atrelar outras funcionalidades, como de interlocução com o fórum, uso de emblemas para reconhecimento, espaço de discussão, etc. De modo geral, A finalidade principal [engajamento] é atrair, reter e reconhecer pessoas para ajudar no Openredu sem tantas complicações. Deve-se ter atividades (tasks) por áreas inicialmente.

Seria somente o “lado do gerenciador” de atividades, como estratégia de minimizar a complexidade, sem necessidade de “lado do voluntário”, devendo ser este, o fórum e o contato pessoal com o lider/representante de cada área. Dessa forma, cada área terá um (ou mais) lider que ficará responsável por fazer a ponte entre o Community e o gerenciador de atividades (e.g., planilhas google) como estratégia de abstração de várias questões do sistema de gestão. Ele fará a inclusão e avaliação da proposta da resolução da atividade e integrará ao Openredu, ou encaminhamento para ambiente/grupo específico para colocar aquelas em produção ou validá-la, dando os devidos créditos aos voluntários. A entrega será feita dá forma que a equipe ou pares envolvidos melhor achar, se forem de desenvolvimento e acharem acessível o github, que seja, se for de Design e preferir uma pasta no google drive, que seja, um email, um zap, isso será de responsabilidade humana entre pares (Líder da Área e Voluntário), e não do sistema (página Community). A página terá somente as áreas, suas descrições básicas, dado que o será uma aba do openredu.org e lá já tem bastante material sobre cada áreas. Em cada área sem tem um detalhamento sobre as suas atividades, como fazê-las, quem consultar, como entregar. Tudo isso será uma tarefa (task) que os representantes/lideres de cada área terão de elaborar e postar em formato de post (tarefa) em cada área de atuação. E então ficará de da boa vontade do voluntário entrar em contato, fazê-la, discutí-la, etc.

O community seria um “cartão de visita” com todos os detalhes necessários para se fazer uma visita! Não um sistema complexo de gerenciamento de metas. Ainda mais pelo fato de que é uma funcionalidade que vem como estratégia técnica e organizacional para a comunidade Openredu, dada a dificuldade em definir atividades em um local específico, fazer a manutenção e gerência destas sem ter que ter tantas “amarras” que academia nos impregna, o que dificulta muita vezes o acesso e entendimento organizacional da comunidade Openredu pra quem não vive no mundo universitário.

As questões mais especificas de reconhecimento e certificação do voluntariado não foi foco do processo aqui, mas entendemos sua extrema importância e vamos fazê-la da maneira mais adequada e legitima que estiver ao nosso alcance. Seja com horas de Extensão na universidade, horas de atividades técnicas com supervisão de um profissional, certificação, reconhecimento em redes sociais, prêmios, etc.

Sim, mas onde a gente tá nisso?

Em 2016-17 foi apontado fortemente a necessidade de se criar uma gestão do voluntariado, bem como sua política de gerenciamento e manutenção. Vira e mexe daqui, vira e mexe dali, vários membros da comunidade foram trazendo modelos para gerir a quem quisesse se voluntariar. Se chega em “Art of Community” de Jono Bacon apontando isso também. Nesse quesito, existe um desafio: Gerir isso diferentemente da grande maioria das comunidades de software livre, dado que lidamos com grandes áreas que estão para além da de Desenvolvimento (de código), sendo elas, Design, Educação, Comunicação e Prestadores de Serviço. @car2, @jeffersonalex, @asg, etc, trouxeram vários apontamentos e modelos, que poderíamos seguir, além de ao mesmo tempo estarmos compreendendo como efetivar essa página, quero dizer, como alcançar as pessoas, engajá-las, motivá-las, enfrentar o desafio de se promover atividades voluntárias no Brasil, dado seu contexto histórico e de como isso é visto por aqui. E então, como vemos aqui, já em 2018, nesse post, já estavamos discutindo como seria o fluxo de interação dessa gestão, pois até esse momento tinhamos pensado em fazer essa gestão por intermédio do da plataforma Github, que é uma plataforma de versionamento de código, mas que por sua estrutura talvez comportaria nossas necessidades, teríamos que adaptá-lo e criar mecanismos de uso para atender a todas as áreas. Entretanto, não vingou, cheguei até a criar lá um modelo de como seria o funcionamento lá. Ainda mais por ter uma série de questões técnicas que poderiam ser uma barreira para as outras áreas, que não desenvolvimento (e até mesmo ela mesma, dado que normalmente os voluntários que chegam para desenvolvimento nunca mexeram com git e github…).

Ainda em 2018, foi tentando com @Eduardo01, @dan1lo, @asg e eu, criar um protótipo e efetivá-lo, mesmo com suas dificuldades no caminho. Somente no segundo semestre de 2018 foi que tomei mais frente com os demais,e com conversas com @hscs. Daí, fiz algumas entrevistas com os líderes de cada área para entender quais seriam suas demandas quanto as atividades com os voluntários. Até então, tinha sido pensado com desde o projeto do começo de 2018 e depois com @hscs em fazer na tecnologia que é usado na plataforma, Ruby on Rails com um banco e tudo mais. E então, eis que quando estavam fazendo a entrevista com @jeffersonalex, e posteriormente em reuniões da comunidade, o mesmo sugere de fazermos como o Wordpress (PHP, HTML, CSS), não criar num modelo CMS, drag-and-drop, mas sim a manipulação do framework para atender as nossas expectativas, ainda mais dado que já temos o site da comunidade nesse formato. Logo, seria mais rápido, menos complexo e já teria o suporte tanto de informações para agregar o Community quanto de aspectos técnicos (feito por @jeffersonalex) desse site. E então, define-se que será no Wordpress mesmo.

Começo a definir alguns modelos dado os exemplos de Community do Mozilla, Drupal, Inkscape, Xampp, etc. Até que @jeffersonalex marca conversa comigo para entender o contexto do que tinha de resultado, e faz os sketches das telas. Como segue abaixo. No mais, li algumas coisas da documentação do Wordpress, vi parte de cursos e tive suporte técnico de desenvolvimento de @jeffersonalex. Andei relativamente pouco no desenvolvimento dado minha falta de experiência com php, e a estrutura de arquivos do wordpress, etc. Se encontra aqui nesse repositório no github no branch “Community”, tudo foi feito até então no desenvolvimento.

Prototipo no Figma.

Openredu.org (Link para Community)
image

Home-Community
Home-Comunnity

Area-tasks
Area-taks

Task-Description
task-description

Acho que é isso, qualquer correção, ou incremento, ou maiores esclarecimentos só dizer que estamos ai.

Há-braços,
~Juliano.


#2

Muito bom Juliano!

Já tinha falado diretamente, agora deixo o agradecimento da comunidade para que todos possam ler!


#3

@jctv Juliano,

duas observações
A primeira, eu criando o formulário, tive algumas ideias de campos que seriam importantes:
olha aqui: https://forms.gle/i3gVnrHWzSNtphBQ8
Será que vale a pena?
Se sim, você pode colocar?

A segunda é: vocÊ pode passar o arquivo fonte que vc usou para prototipar?
seria bom deixar disponível para a comunidade.